Gestão pessoal

Um guia para pais e mães que estão em home office

Avni Patel Thompson
23 de março de 2020

Amir e Ria são profissionais na ativa que moram em Seattle, nos Estados Unidos. Ele trabalha na Amazon e ela é CEO de uma startup em estágio inicial. O casal tem dois filhos, Amara e Aryan, de seis e dois anos. Estão acostumados a lidar com os desafios comuns às famílias em que ambos os pais trabalham fora: coordenar creche, escola e outras atividades, administrar o preparo de refeições e outras tarefas do lar, e passar tempo juntos aos finais de semana.

Leia também:

O que a meditação pode fazer pela sua liderança

Dez dicas rápidas para evitar distrações no trabalho

As coisas começaram a se complicar com o surto do coronavírus em Seattle e região, há algumas semanas atrás. Primeiro, a Amazon pediu que seus funcionários passassem a trabalhar de casa, e, uma semana depois, a escola de Amara anunciou que ficaria fechada por pelo menos quatro semanas. Logo em seguida, foi a vez de a creche de Aryan fechar. Desde então, Amir e Ria tentam se dividir entre os cuidados com os dois filhos em tempo integral, enquanto trabalham de casa, procurando manter a produtividade dentro do possível. 

Na primeira semana, encararam a situação como se fossem férias, sem muita rigidez de horários e tarefas. Mas aquilo logo se transformou em uma situação de frustração para todos. Não conseguiam trabalhar direito, preocupavam-se com a quantidade de tempo que deixavam Amara se distrair com o tablet, e as tarefas práticas, como cozinhar e limpar a casa, começavam a se acumular. O fato de estarem todos confinados em um ambiente fechado só piorava as coisas.

Como uma empresa que desenvolve software para ajudar na organização de famílias em que ambos os pais trabalham fora, estamos sempre coletando exemplos das melhores práticas de pais ocupados. E, nos últimos dias, estivemos em contato com famílias em Seattle, São Francisco e Nova York que já começaram a experimentar essa nova realidade.

A experiência deles nos mostrou que o segredo é elaborar novas maneiras de preservar velhas rotinas. Manter um senso de normalidade e constância é, ao mesmo tempo, reconfortante e terapêutico em tempos de turbulência, além de ser útil. Quando cada milímetro de produtividade conta, é importante que cada dia já seja um hábito estabelecido, sem que seja preciso perder tempo pensando no que tem para o almoço, ou a que horas sair para brincar ao ar livre.

A seguir, três dicas de como trazer seu antigo planejamento para dentro da sua nova realidade:

1. Mantenha rotinas.

O primeiro passo é manter a estrutura do dia como era antes. Além do benefício de já estar acostumado àquela rotina, uma programação regular ajuda a organizar o dia entre o trabalho e os cuidados com os filhos.

A rotina de uma das famílias com quem trabalhamos, por exemplo, começava com café da manhã com as crianças às 8h15, e, em seguida, um dia de atividades com a babá depois que os pais saíam para o trabalho. As crianças tinham uma hora de brincadeiras não guiadas, uma atividade ao ar livre, almoço em casa, e, depois, uma combinação de atividades educativas e trabalhos manuais, antes de mais uma saída ao ar livre. As crianças jantavam às 17h, antes de os pais chegarem em casa, às 18h. À noite, brincavam um pouco ou liam historinhas antes de ir para a cama, entre 19h30 e 20h.

Meu conselho para essa família é de que a rotina seja mantida. Com ou sem a babá, eles devem tentar manter os horários das refeições, atividades e brincadeiras ao ar livre. (Particularmente, costumo usar essa estratégia quando viajo em família por um tempo mais longo). No próximo passo, você vai criar sua própria programação, mas o segredo é identificar o ponto de partida, com base no que já se sabe.

2. Adapte os horários.

Em seguida, monte um horário para cada semana, incorporando essas rotinas firmemente, mas sem deixar de adaptar modificações levando em conta seus períodos de trabalho e as novas responsabilidades, como cozinhar, cuidar da casa e das crianças.

No seu planejamento, observe se está incluindo as seguintes questões:

  • Qual a programação dos seus filhos?
  • O que vocês vão comer em cada refeição?
  • Quando farão as tarefas de casa?  (Lavar a roupa e a louça, fazer a arrumação e limpeza da casa)
  • Quando acontecerão suas principais reuniões de trabalho, ou situações em que será fundamental ter alguém para substituí-lo, enquanto faz as tarefas da casa?

Considere essas informações, inclua-as na agenda e comece a delegar tarefas e turnos para cada integrante da família. Nossa família usa a ferramenta Google Calendar, e criamos um exemplo simples para ser usado por outras famílias na elaboração da agenda dos filhos, acrescentando os turnos.

Por fim, acrescente os períodos de trabalho. A depender do tipo de ajuda que você tenha disponível, da situação da sua comunidade e tipo de quarentena, seguem três opções de como colocar essas dicas em prática:

Parceria para revezamento: Turnos de quatro horas, em que um dos parceiros trabalha, enquanto o outro cuida das crianças.

Turnos curtos: Turnos de 30 minutos a duas horas, revezando-se entre alguns adultos. 

Turnos via vídeo: Embora ainda seja necessário prestar alguma atenção, pode ser possível, especialmente com crianças mais velhas, organizar brincadeiras virtuais (mais informações abaixo) ou chamadas de vídeo com os avós, para mantê-los entretidos enquanto você fala ao telefone ou faz algum tipo de trabalho operacional.

Vai parecer que é preciso espremer cada gota de produtividade de cada minuto do seu dia. É fato que muitos pais precisarão encontrar tempo para trabalhar de manhã cedo ou depois que as crianças forem dormir. Mas procure também organizar pausas e tempo livre para relaxar e se conectar com seu parceiro e seus filhos. Será uma maratona. É importante achar maneiras de evitar o esgotamento físico e mental.

3. Encontre novas formas de fazer coisas antigas.

Por fim, se seus filhos estão acostumados a brincar com amiguinhos ou a ter atividades durante a semana, encontre formas de manter esses eventos na agenda, mas em um formato diferente. Todos vão gostar de socializar, e, como bônus, você ainda pode ganhar 30 minutos de trabalho sem interrupção. Algumas opções a se considerar:

Encontros virtuais com os amiguinhos: Defina uma ferramenta, como Google Hangouts, ou Zoom, por exemplo, e mande convites para os pais dos amigos dos seus filhos. Para a brincadeira, prepare uma estação específica na sua casa, com um tablet, um notebook, ou dispositivos como Alexa Show ou Facebook Portal. As atividades podem variar desde simplesmente deixar as crianças colorirem juntas, até escolher um dos pais para coordenar uma atividade, ou contar histórias. 

Atividades físicas criativas para as crianças. Inscreva seus filhos em aulas online gratuitas. Programe essas atividades para o horário que seria dedicado às atividades extraescolares. As crianças precisam de atividades físicas diárias, que podem ser simplesmente jogar bola no quintal.

Grupos de pais: Encontre um grupo de três ou quatro outras famílias próximas e compartilhe recursos, como o planejamento de refeições, aulas ou programações. 

Clube do livro ou noites assistindo a TV. Manter-se socialmente ativo e conectado é igualmente importante para os adultos. Crie um clube dedicado a leitura ou a assistir a esportes ou a programas de TV. Veja as agendas dos amigos e organize uma chamada de vídeo, para que todos possam assistir juntos. Mantenha sua rotina de exercícios, com uma corrida ao ar livre, um circuito no interior ou recorra a opções online. Até mesmo uma caminhada em família pode ajudar.

Agora, mais do que nunca, é preciso contar com a comunidade. Diante da natureza dessa crise, precisamos encontrar formas seguras e responsáveis de ajudar uns aos outros, enquanto cumprimos com nossas responsabilidades em casa e no trabalho.  Apoie-se na sua comunidade – outros pais próximos – para dividir as responsabilidades, com atenção àqueles que possam precisar mais, como profissionais da área da saúde, ou que trabalham por hora e não têm com quem deixar os filhos. Entenda que os desafios serão grandes e que não seremos capazes de manter 100% da nossa produtividade. Mas, adaptando as expectativas, com um pouco de desenvoltura e flexibilidade, você ainda vai se surpreender com os resultados. Com sorte, poderemos sair dessa crise mais fortes e colaborativos, com uma abordagem moderna do velho estilo de cuidar dos filhos.


Se nossos artigos gratuitos ajudam você a enfrentar esses desafios, considere assinar a HBR Brasil. Uma assinatura é a melhor maneira de apoiar a criação e publicação de conteúdo como esse e muitos outros.


Avni Patel Thompson é fundadora e CEO da Modern Village. Essa é sua terceira empresa de soluções tecnológicas para pais da atualidade. Sua empresa anterior, a Poppy (YC W16), dedicava-se a conectar pais a cuidadoras cadastradas, como alternativa a creche Antes de se dedicar a empreender, Thompson passou uma década desenvolvendo negócios na área de consumo em empresas como P&G, Adidas e Starbucks. Avni Patel tem mestrado em Administração de empresas na Harvard Business School e é Bacharel em Química pela University of British Columbia. Mora em Vancouver, Canadá, com o marido e duas filhas pequenas.

Compartilhe nas redes sociais!

replica rolex