Dicas

Todos têm um papel na mudança

Janice Molloy
16 de janeiro de 2019

Recentemente, passei por uma grande mudança de vida: depois de trabalhar como empreiteiro por seis anos, juntei-me ao grupo de funcionários em tempo integral. À medida que reajustei minhas rotinas diárias – não demorar demais tomando uma xícara de café se quiser vencer o trânsito – lembrei-me de uma linha em nosso tópico sobre gerenciamento de mudanças recentemente atualizado no Harvard ManageMentor:

“A mudança requer novas práticas e hábitos e deixar para trás aqueles que não servem mais o seu propósito”

Para minha transição ter sucesso, todos da minha família – incluindo os cachorros – tiveram que mudar seu comportamento até certo ponto. E é nisso que a mudança organizacional, grande e pequena, realmente se resume. Para qualquer iniciativa atingir seus objetivos, os membros da equipe têm que agir de maneira diferente do que antes. Eles podem ter que mudar para um novo tipo de software ou implementar processos atualizados para melhor atender às necessidades dos clientes – ou, no caso de meus cães, se acostumar com um dog walker.

Esse foco no indivíduo durante os períodos de mudança difere da abordagem de cima para baixo em que muitas empresas costumavam confiar. Isso porque, no clima acelerado de hoje, tem havido um crescente reconhecimento de que, para que as organizações tenham sucesso, todos devem desempenhar um papel no início e na implementação da mudança, desde a base até as linhas de frente.

De acordo com nosso Relatório de Desenvolvimento do Estado de Liderança de 2018, 86% das organizações têm experiência recente com transformação, com 54% atualmente em transformação. A mudança é a nova norma e as organizações cujos funcionários estão preparados para lidar com ela serão as que começarão a funcionar.

Como os gerentes podem apoiar indivíduos no desenvolvimento das habilidades e mentalidade necessárias para navegar na mudança? Um elemento chave é modelar a resiliência. Um de nossos clientes, por exemplo, introduziu um programa que dava aos funcionários acesso direto a um de seus líderes executivos. Ao compartilhar suas experiências com o gerenciamento de mudanças nas necessidades e prioridades organizacionais – muitas delas altamente pessoais – ele ajudou a construir uma cultura aberta que encorajava os indivíduos a experimentar mudanças, sentir-se à vontade para cometer erros e crescer enfrentando desafios.

Como você está lidando com a mudança em sua organização?

Janice Molloy é gerente sênior em aprendizagem on-line, na Harvard Business Publishing Corporate Learning.

Compartilhe nas redes sociais!