Parcerias

Não escolha seus parceiros de negócio baseados em intimidade pessoal

22 de janeiro de 2016

Ter um relacionamento pessoal com alguém pode te levar a ver oportunidades para um trabalho profissional juntos, mas intimidade não é um bom parâmetro para negócios. Parcerias precisam passar por questões legais e analíticas sérias antes de acontecerem. Isso pode ficar chato entre amigos, mas é uma boa prática profissional. Parceiros sérios irão respeitar sua cautela. Comece avaliando os recursos e capacidades do possível sócio. Cláusulas legais e contratos não irão te proteger se um dos sócios simplesmente não tiver o que você pensava que ele tinha. Depois, explore as opções de parceiros alternativos. A pessoa que você tem em mente é realmente a melhor opção? Depois de ter decidido, proteja a si mesmo e construa mecanismos concretos para a operação de chefia conjunta de vocês. Você deve confiar no seu parceiro, mas faça isso depois de estruturarem bem a relação. E, depois que o contrato for assinado, não se surpreenda se seu sócio começar a perseguir os próprios interesses e te usar para isso. Não é deslealdade. É uma boa atitude de negócios.

Adaptado de “Don’t Base Business Partnerships on Personal Chemistry”, por Benjamin Gomes-Casseres

Compartilhe nas redes sociais!