RESUMO

A extensa obra de Peter Drucker, que inclui mais de 30 ensaios para a HBR, é um marco no campo da administração. Há décadas influencia a prática e o ensino da gestão e é presença obrigatória na biblioteca de muita gente. Mas alguém lê tudo isso? Ou, melhor ainda, deveria ler? Ainda mais importante, o que alguém ganha com a leitura de Drucker?
 
Neste artigo publicado originalmente em 1980, mas inédito na edição brasileira, o autor sustenta que a verdadeira contribuição de Drucker para a disciplina da administração está menos no valor de face de suas ideias e mais no rigor intelectual com que são formuladas. Seria possível aprender mais — e mais profundamente — observando Drucker pensar do que estudando o conteúdo de suas ideias. O autor mostra como o processo mental de Drucker (amplamente contextual, lógico e holístico) encena um drama permanente de perspectiva que, combinado à imparcialidade e a um fluxo natural de raciocínio, é tão eficaz em convencer o leitor. Kantrow classifica a obra de Drucker em quatro grupos — pensamento social e político, análise da administração e de empresas, conjectura sobre contornos do futuro e manuais de gestão — e explica como escolher o melhor livro para cada caso.
 
O artigo de Kantrow é acompanhado de depoimentos de cinco líderes sobre a influência que Drucker exerceu em cada um: A.G. Lafley, da Procter & Gamble; Frances Hesselbein, do Leader to Leader Institute; Oscar Motomura, da Amana-Key; Peter Paschek, da Delta Management Consultants; e Zhang Ruimin, da Haier.

Share with your friends









Submit