A participação regular em clubes e outras atividades sociais aumenta a felicidade com a mesma intensidade como a duplicação de renda de alguém ou obter um diploma universitário, de acordo com Robert D. Putnam, professor de Harvard, conforme relatado por Chris M. Herbst do estado norteamericano do Arizona. Evidências indicam que a conexão social tem uma forte influência não só sobre a felicidade, mas também na autoavaliação da saúde, diz Herbst.

Fonte: Declínio ‘paradoxal’? Um outro olhar sobre a redução relativa na felicidade feminina

Share with your friends









Submit