Apesar da popularidade de estratégias de crescimento baseada em fusões e aquisições, os desafios de execução são significativos — 40% a 80% das fusões não atingem seus objetivos.

Para entender a alta taxa de fracasso, pesquisadores examinaram características financeiras, equivalência de capacitação e fatores humanos como cultura. O que estava faltando era pesquisa quantitativa robusta sobre capacidade de liderança coletiva sobre um executor de Fusão e Aquisição (M&A) bem-sucedido.

Para preencher essa lacuna, liderei um estudo durante cinco anos que reuniu dados de avaliação de liderança individual (obtidos de avaliações de 3600 da Korn Ferry) de empresas em aquisição e adquiridas para montar um quadro da capacidade de liderança coletiva. Minha investigação incluiu 94 fusões que ocorreram entre 2004 e 2008 e procurava responder a duas questões: como áreas de liderança e competências em aquisição e empresas adquiridas afetam o desempenho financeiro de uma fusão? E qual a importância relativa de executivo sênior versus capacidade de liderança coletiva de executivos de nível intermediário em fusões? Para medir desempenho financeiro eu comparei o lucro total de acionistas para cada empresa com alto índice de capitalização de mercado do país onde a empresa estava sediada, com o índice de industrialização de seu setor de atuação.

 

 

O estudo revelou três grandes descobertas: primeira, capacidade de liderança na aquisição de empresas (especificamente, habilidade em amplas áreas de liderança de ideias, resultados e pessoas) é extremamente importante para o sucesso de M&A, mas capacidade de liderança de empresas adquiridas também é igualmente importante. Segunda, sete competências de liderança para adquirentes e quatro para empresas adquiridas são indicadores de sucesso. Terceira, capacidade de liderança sênior em aquisição de empresas e liderança executiva intermediária em empresas adquiridas têm o maior efeito no sucesso.

Na segunda parte do estudo, examinei retornos financeiros de negócios de M&A que tiveram tanto desempenho positivo como negativo, e avaliei como as sete competências de liderança afetaram esses retornos. Entre os negócios com desempenho positivo, empresas com as sete competências superaram o índice de capitalização de seu país em 8,4% e o índice de industrialização do setor em 10,4%. Entre as transações que tiveram desempenho negativo, empresas que não tinham algumas das sete competências sofreram significativamente mais que as outras.

Esses resultados sugerem que avaliar as competências de liderança coletiva de aquisições e empresas adquiridas deveria ser parte da devida diligência que precede uma proposta de M&A e encoraja planejamento integrado. Eles também sugerem que executivos intermediários de empresas adquiridas são decisivos para o sucesso e esforços para retê-los (por meio de contratos normalmente oferecidos a lideres de alto nível) poderiam ser vantajosos. 

 

J. Keith Dunbar é presidente da Potentious, empresa de consultoria em Washington, D.C.

Share with your friends









Submit