Recentemente li uma matéria no Wall Street Journal que apresentava uma pesquisa que relacionava a forma física de um CEO à percepção que ele passava em relação às suas habilidades de liderança. A pesquisa concluía que alguns quilos a mais ou mesmo uma cintura acima da medida poderia afetar negativamente essa percepção.

Obviamente pode haver um exagero em relacionar tão diretamente forma física e percepção de habilidades de liderança, porém pode se dizer que faz parte do senso comum à noção de que um profissional que pratica exercícios físicos e mantém hábitos alimentares saudáveis tem, em geral, mais disposição para trabalhar além de ficar menos doente. A prática de exercícios físicos deve ser encarada como parte da rotina de qualquer profissional bem sucedido, como checar e-mails, se preparar para falar em público ou analisar um plano de negócios. Indo além, a prática de exercícios físicos libera no organismo uma série de hormônios dentre os quais se destaca a dopamina que entre outros benefícios nos ajuda a pensar de maneira mais racional.

Em um estudo conduzido pela Universidade da Califórnia, descobriu-se que o aumento do neurotransmissor dopamina na região do córtex pré-frontal diminui a impulsividade em adultos saudáveis. Para um grupo de voluntários, os pesquisadores deram um remédio, tolcapone, que ajuda a manter níveis mais altos de dopamina no cérebro; para outro grupo, deram apenas um placebo. Depois os pesquisadores deram uma tarefa para os participantes do estudo que media impulsividade.

O grupo que havia tomado o remédio se demonstrou muito menos impulsivo. Enquanto os participantes faziam o teste, foram feitas imagens com ressonância magnética que confirmaram que regiões do córtex frontal do cérebro associadas ao processo de decisão estavam mais ativas naquelas pessoas que haviam tomado o remédio do que naquelas que haviam tomado o placebo.

Independentemente da percepção de que alguns quilos a mais podem passar a respeito de um profissional, para um líder, a questão de manter-se saudável pode influenciar diretamente a performance da empresa que ele dirige, pois como vimos no estudo acima, baixos níveis de dopamina afetam a racionalidade das decisões de uma pessoa. Portanto, trate de começar a se exercitar hoje mesmo, pois manter hábitos de vida saudáveis é uma boa decisão para qualquer profissional que queira se desenvolver como líder.

 

 

*Renato Grinberg  é especialista em liderança, motivação, desenvolvimento profissional e gestão de empresas. Formou-se em música pela FAAM, tem pós graduação em marketing pela University of California Los Angeles (UCLA) e MBA pela University of Southern California (USC), além de ter cursado Melhores Práticas em Liderança na Harvard Business School. Trabalhou em grandes multinacionais como Sony Pictures e Warner Bros, e também foi presidente da Trabalhando.com Brasil. Atualmente, é CEO da empresa Currículo Autêntico além de professor do programa de MBA da HSM Educação, coordenador do programa de extensão em liderança das Faculdades ALFA/FADISP e colunista do site da Harvard Business Review Brasil. É requisitado em todo o país por empresas, associações empresariais e universidades para proferir palestras e workshops visando ao aprimoramento profissional de sua audiência. É autor do best-seller de carreira e negócios A estratégia do olho de tigre publicado pela Editora Gente. Saiba mais em www.renatogrinberg.com.br

Share with your friends









Submit