A maioria das pessoas acaba seguindo uma fórmula de sucesso que tem sido ensinada por muito tempo: Trabalhar duro e se dedicar ao máximo para se tornar bem sucedido e quando você for bem sucedido, aí sim você estará realizado e feliz. Com esse padrão de pensamento nós estamos sempre querendo conseguir algo para nos sentirmos realizados e felizes. Aquele aumento de salário, aquela promoção para um cargo de liderança ou aquele trabalho dos sonhos. O problema é que essa fórmula está invertida. Se não estivesse, os profissionais que recebem aumentos ou promoções estariam felizes e aquelas pessoas que estão trabalhando no emprego dos sonhos não deixariam seus trabalhos.

Eu mesmo vivi por muitos anos nesse padrão: “Se eu entrar em um MBA prestigiado, estarei feliz e realizado. Fui aceito no MBA da USC – Marshall School of Business, que é um dos 25 mais prestigiados do mundo. Fiquei feliz por um tempo mas comecei de novo: “ Se eu conseguir trabalhar em um dos grandes estúdios, aí sim estarei realmente feliz”. O que aconteceu? Consegui um emprego na Warner Bros. em Los Angeles, empresa da Time Warner, o maior grupo de mídia do mundo. O que aconteceu? Fiquei feliz por um tempo e aí comecei de novo: Se eu consegui um cargo de liderança, aí sim estarei realmente feliz. Bom acho que já deu pra entender o padrão.

Não estou de maneira alguma defendendo a noção de se tornar acomodado, mas sim de “curtir” o que se está fazendo e estar feliz independentemente de qualquer coisa. Você obviamente deve ter seus objetivos e ambição para consegui-los, mas não deve depositar neles sua felicidade. Paradoxalmente, quem está feliz, tem mais chances de ter sucesso.

Shawn Achor, pesquisador e professor da Harvard University, um dos maiores especialistas em potencial humano da atualidade afirma que esperar por algo para se tornar feliz limita o potencial do nosso cérebro para o sucesso, enquanto que ao cultivar “cérebros positivos” nós nos tornamos mais motivados, eficientes, resilientes, criativos e consequentemente mais produtivos. Essa descoberta foi confirmada por centenas de estudos científicos com milhares de estudantes e funcionários de grandes empresas.

 

Jack Arnold Weil, fundador da Rockmount Ranch Wear permaneceu como CEO da empresa que fundou por mais de 60 anos e esteve envolvido na operação até o último dia de vida. Faleceu em 2008, com 107 anos de idade. Jack é considerado o CEO mais velho de todos os tempos e por sua incrível trajetória é possível dizer que ele não esperava algo acontecer para ser feliz. Ninguém aguentaria 60 anos de espera. Jack Weil foi com certeza um grande exemplo de um líder feliz.

 

*Renato Grinberg é especialista em liderança, desenvolvimento profissional, gestão de empresas e autor do best-seller de carreira/negócios “A estratégia do olho de tigre”. É formado em música pela FAAM, tem pós-graduação em Marketing pela University of California Los Angeles (UCLA), MBA pela University of Southern California (USC) e cursou Melhores Práticas em Liderança na Harvard Business School. Trabalhou em grandes multinacionais como a Sony Pictures e Warner Bros., e também foi presidente da Trabalhando.com Brasil. Atualmente é CEO da Currículo Autêntico, professor de liderança na HSM Educação e colunista do site da Harvard Business Review Brasil.

Share with your friends









Submit