Novembro 2011

Frank Gehry

De corpo e alma
Katherine Bell
Frank Gehry é, aos 82 anos, o mais festejado dos arquitetos americanos vivos. Seus projetos, incluindo o Guggenheim Bilbao e o Disney Hall em Los Angeles são, todos, tecnicamente desafiantes e inconfundivelmente seus.

É sabido que o processo criativo de Gehry bebe na fonte da arte; menos famoso é seu feroz compromisso com o orçamento e o papel do arquiteto como gestor de projetos. Entrevista a Katherine Bell

 

 

Fogo, bola de neve, máscara, filme: como o líder provoca e sustenta mudanças

Gestão pessoal
Peter Fuda
O que é preciso para um gestor ineficaz virar um líder altamente eficaz? Se perguntar a 50 renomados executivos, consultores de gestão e acadêmicos, o leitor ouvirá, de cada um, uma resposta distinta. Não faltam livros, modelos e fórmulas para o sucesso. Mas a verdade é uma só: a transformação da liderança depende profundamente do contexto. Todo mundo segue o próprio caminho, tem a própria história.

Tradição e pioneirismo

Especial
Maria Tereza Fleury
Livre docente (grau máximo da carreira acadêmica) em sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), Maria Tereza Fleury é diretora da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/Eaesp) e professora da Faculdade de Economia e Administração da USP, onde também foi diretora e vice-diretora.

A organização com fins de benefício

Foco
Heerad Sabeti
Estamos em uma nova era. Empresas voltadas ao lucro estão abordando problemas sociais e ambientais, entidades sem fins lucrativos criam modelos de negócios sustentáveis e governos concebem modelos de mercado para a prestação de serviços.

E se tentássemos ser a empresa mais respeitada da Índia?

Estratégia
N.R. Narayana Murthy
Pode até não parecer, mas o indiano N.R. Narayana Murthy gosta de ir na contramão. Quando poucos de seus conterrâneos se sentiam aptos a abrir a própria empresa, Murthy fundou a Infosys — e com só mil dólares na conta. Quando ninguém acreditava que a Índia pudesse levar ao mundo bens de alta tecnologia, Murthy se atreveu a criar serviços de software para exportação.

Grandes empresas pensam diferente

Cultura organizacional
Rosabeth Moss Kanter
Está na hora de crenças e teorias sobre a atividade empresarial se emparelharem com o modo como grandes empresas operam e enxergam seu papel no mundo atual. Até aqui, economistas e financistas sustentaram que o único propósito da atividade empresarial era fazer dinheiro — quanto mais, melhor.

A casa de U$ 300

Produtividade
HBR
Se há um desafio na base da pirâmide, é o seguinte: criar uma casa segura e bem projetada que caiba no bolso da população mais destituída do planeta.
 
Ao lançar o desafio num blog do site HBR.org em agosto de 2010, Vijay Govindarajan e Christian Sarkar apresentaram um esboço simples de uma possível solução — e indagaram se seria possível produzir em massa uma versão por US$ 300.

Coluna Tierney

Radar
Thomas J. Tierney
Colaborando para o bem comum
 
Colaboração entre concorrentes não é um ato natural. Às vezes, porém, é a melhor maneira de derrubar custos, capitalizar um forte, acelerar escala ou amplificar influência para gerar resultados.