Março 2013

Ruptura Big-Bang

Inovação
Paul F. Nunes, Larry Downes

A esta altura do campeonato, qualquer executivo bem informado conhece a cartilha básica para salvar uma empresa de uma inovação […]

Na mira do governo

Gestão pessoal
Francesca Gino

Diante de uma injusta elevação de impostos, fabricante de cosméticos pondera saídas.

 

E que outras saídas temos? — perguntou Alan Carroll à equipe. Diretor-jurídico da fabricante de cosméticos americana Mariana Ash, de Los Angeles, Alan estava de pé em frente a um quadro branco coberto de anotações. Estava conduzindo uma sessão de brainstorming, parte dos preparativos para a negociação que iriam travar com Gerald Palacios, governador das Ilhas Marianas do Norte.

Saiba qual sua verdadeira motivação.

Experiência
Heidi Grant Halvorson E. Tory Higgins

Em que tipo de situação você se sai melhor? Que fatores reforçam — ou minam — sua motivação? Já que a resposta a estas perguntas pode variar muito, o segredo na base de uma boa gestão é saber se o líder está administrando o próprio desempenho ou o de outra pessoa. Princípios genéricos não funcionam. Estratégias que o ajudam a bater metas e a se superar podem não ajudar colegas ou subordinados dir etos; o que funciona para seu chefe ou mentor nem sempre funciona para você. A personalidade conta.

Quando a sustentabilidade dá lucro

Globo
Subramanian Rangan, Knut Haanaes, Jeremy Jurgens, David Michael

Quando Ibrahim Abouleish fundou a Sekem, a primeira propriedade agrícola de cultivo orgânico do Egito, a novidade era um luxo para o qual havia pouco mercado. Foi em 1977, no Cairo. De lá para cá, a organização passou anos aprimorando técnicas sustentáveis de cultivo. ​​O esforço todo se pagou em 1990, quando a Sekem começou a produzir algodão orgânico. Na época, a onda orgânica começava a chegar às gôndolas de estabelecimentos comerciais do mundo desenvolvido e a demanda mundial por produtos orgânicos disparava.

Formação de equipes para uma empresa estadista

Equipes
Roberto Patrus, Betania Tanure

Em uma trilogia publicada em 2011 pelos autores deste artigo1, ilustramos o conceito de dirigente a partir da experiência empresarial de Luiz Seabra (Natura), Cledorvino Belini (Fiat) e Fábio Barbosa (então ABN Amro — Real — Santander). O dirigente é aquele que sintetiza as competências de gestor e de líder, articuladas pela atuação “agridoce” e por uma visão de futuro2.

Em defesa da inovação às escondidas

Inovação
Thomas Wedell-Wedellsborg, Paddy Miller

Você tem uma ideia para um projeto ousado e inovador que poderia ter impacto considerável sobre a empresa. Suspeita, contudo, que haverá certa resistência interna à ideia. Já que a inovação mexeria na ordem estabelecida, há uma boa probabilidade de que outros setores da organização tentem obstruí-la. Qual seu próximo passo?

Experiência humana: o novo meio da publicidade

Marketing
Jeffrey F. Rayport

No ano passado, a fabricante britânica de bebidas Diageo usou a embalagem de seus uísques no Brasil como um canal de vídeo personalizado. Na campanha feita para o Dia dos Pais, em agosto, toda garrafa de uísque da empresa trazia um QR Code que, ao ser escaneado, permitia ao consumidor jogar na “nuvem” uma mensagem em vídeo para o presenteado — que, ao receber o mimo, usava o smartphone para ler o código e conferir a homenagem.

Plataforma móvel pede aplicativo, não anúncio

Marketing
Sunil Gupta

Como a maioria dos profissionais, tenho um smartphone. Embora o use com frequência para trocar e-mails com colegas ou mensagens de texto com a família, também uso aplicativos do aparelho para buscar informações ou passar o tempo. E na telinha de 3,5 polegadas, volta e meia encontro algo mais: um fluxo crescente de publicidade em formato diminuto.

Analítica 2.0 na publicidade

Marketing
Wes Nichols

Um cliente nosso, uma gigante do setor de aparelhos eletrônicos, há muito media o impacto de sua publicidade separadamente para cada meio. Como de praxe na maioria das empresas, calculava o impacto que cada modalidade de anúncio — em TV, mídia impressa, rádio e internet — tinha sobre as vendas. A empresa não entendia que, cada vez mais, a publicidade interage. Um comercial de TV, por exemplo, pode levar a uma busca no Google, o que pode fazer a pessoa clicar em um anúncio ali ao lado e, no final, levar a uma venda.

Presidente da Encyclopædia Britannica conta como acabar com um produto de 244 anos

Experiência
Jorge Cauz

Um ano atrás, quando avisei que a Encyclopædia Britannica ia parar de ser impressa, houve repercussão no mundo inteiro da mídia. Apesar da vasta migração da informação da tinta e do papel para bits e telas, parecia incrível que uma coleção de livros publicada há quase um quarto de milênio saísse de catálogo. Mas, em nossa sede em Chicago, o clima não era de velório. Aliás, nossos funcionários deram uma festa no dia em que a decisão foi anunciada para comemorar o fato de que a Britannica ainda era uma empresa viável, que crescia.

Por que compensa ser o criador de uma categoria

Inovação
Linda Deeken, Eddie Yoon

Embora o mundo tome café há mais de 500 anos, se entrarmos em uma cozinha moderna para observar como a bebida é preparada, provavelmente veremos um processo que guarda pouca semelhança com métodos usados ​​apenas uma geração atrás. Em casas e empresas, o consumidor está migrando para o café em cartuchos, em doses únicas — moda lançada pela americana Keurig na década de 1990 —, e deixando de lado a velha garrafa térmica. A Keurig entrou no mercado doméstico em 2004.