Maio 2015

Ampliar a missão?

Cultura organizacional
William A. Sahlman, Ramana Nanda

Para Helena Valencia, Miami era seu lar, onde havia crescido. Ali, havia moldado sua compreensão das pessoas e fora lançada para o mundo. Na verdade, seu amor pelas culturas misturadas da cidade e por seus negócios locais dinâmicos foi uma das coisas que a inspiraram a fundar a Unamano, agora uma organização sem fins lucrativos que apoia o empreendedorismo nos mercados emergentes e é reconhecida mundialmente.

De corpo & alma – Brian Grazer

Gestão pessoal
Alison Beard

Brian Grazer construiu sua história em Hollywood — de assistente de pesquisa da Warner Brothers a produtor premiado com o Oscar. Seu primeiro sucesso foi “Splash: uma sereia em minha vida”. Muitos outros se seguiram, de “Apollo 13” à série de televisão “24 Horas”. A chave para o sucesso? Fazer boas perguntas — a funcionários, colaboradores e pessoas brilhantes de outras áreas. 

Seu novo livro recebe o título de “A curious mind” (Uma mente curiosa).  

HBR: Você diz que a curiosidade ajudou em sua carreira. De que maneira? 

Da academia para a economia real

Governança
Manuel C. Mendes Jr.

Abrir uma empresa por si só já é uma tarefa desafiadora e complexa. Imagine então iniciar operações em um país que não é o seu. Os costumes e as preferências culturais são os primeiros entraves, depois as questões legais, contábeis e de imigração, que amedrontam empresários e investidores, independentemente do porte do negócio.

Supere seus próprios vieses

Gestão pessoal
Katherine L. Milkman, John W. Payne, Jack B. Sol

SUPONHA QUE VOCÊ esteja avaliando um candidato a emprego para chefiar um novo escritório em um país diferente. No papel, essa é sem dúvida a pessoa mais qualificada que você já viu. As respostas que ela dá às suas perguntas são perfeitas. Ela tem habilidades sociais impecáveis. Ainda assim, parece que algo não está bem. Você não sabe exatamente o que é — mas tem essa sensação. Como você decide se a contrata?

Enganado pela experiência

Gestão pessoal
Robin M. Hogarth, Emre Soyer

Confiamos no peso da experiência para fazer julgamentos e tomar decisões. Interpretamos o passado — o que vimos e o que nos disseram — para traçar um rumo para o futuro, confiando na sabedoria dos nossos critérios. Afinal, não foi nossa capacidade de entender as coisas pelas quais já passamos que nos fez chegar aonde estamos agora? É razoável que recorramos à mesma fonte para tomar novas decisões.

Mas também pode ser um erro.

Como pensar diferente

Inovação
HBR

Bem no meio do centro de inovação da Accenture Strategy, instalado no escritório da consultoria na zona sul de São Paulo, uma impressora 3D é destaque. 

A intenção é estimular as empresas a pensar um jeito de fazer as coisas de um modo diferente e buscar novos caminhos para seu negócio. Isso começa de fato a acontecer em algumas partes do Brasil, embora ainda sejam poucas as impressoras 3D instaladas no país. 

A Tesla não é tão disruptiva quanto parece

Inovação
HBR

No outono de 2014, um investidor entrou em contato com o professor Clayton Christensen, da HBS, com um desafio amigável. Christensen é conhecido principalmente por sua teoria da inovação disruptiva, que descreve como empresas que introduzem produtos rudimentares podem acabar substituindo atores estabelecidos com a melhoria sistemática de seus produtos até que se adequem às necessidades de seus principais consumidores, geralmente a preços baixos.

A revolução da impressão

Inovação
Richard A. D’Aveni

A impressão 3D industrial atingiu um ponto de virada e está prestes a cair no gosto da população em grande estilo. Muitos executivos e engenheiros ainda não se deram conta, mas essa tecnologia já está muito além da produção de protótipos, prototipagem rápida, brinquedos e outras bugigangas. A manufatura aditiva, como também é conhecida, já está criando produtos duráveis e seguros, em média e larga escala, para consumidores. 

 

Dois fatores-chave para o empreendedorismo social sustentável

Governança
Roger L. Martin, Sally R. Osberg

O empreendedorismo social surgiu nas últimas décadas como uma forma de identificar e promover mudanças potencialmente transformadoras na sociedade. Um híbrido de intervenção governamental e puro empreendedorismo de negócios, o empreendimento social é capaz de tratar problemas cujo âmbito é estreito demais para instigar o ativismo legislativo ou para atrair capital privado. 

Os líderes como arquitetos de decisão

Liderança
John Beshears, Francesca Gino

TODOS OS funcionários, do CEO aos trabalhadores da linha de frente, cometem erros evitáveis: subestimamos o tempo necessário para concluir uma tarefa, negligenciamos ou ignoramos informações que revelam uma falha em nosso planejamento, ou não aproveitamos benefícios da empresa que seriam vantajosos para nós. É extremamente difícil reconfigurar o cérebro humano para desfazer os padrões que levam a esses erros.