Janeiro 2015

A arte de dar e receber conselhos

Gestão pessoal
Joshua D. Margolis, David A. Garvin

PEDIR E DAR conselhos é fundamental para liderar e tomar decisões com eficiência. Mesmo assim, os gestores raramente veem isso como uma habilidade prática que podem aprender e melhorar. O recebimento de orientação é muitas vezes visto como o consumo passivo de sabedoria. E geralmente a capacidade de aconselhar é tratada como uma questão de “bom senso” — ou você tem, ou você não tem —, e não como uma competência a ser dominada.

Caso: Você venderia esse produto?

Experiência
Gregory Fairchild

Quando corria pela manhã no Golden Gate Park, Olivia Torres geralmente tentava não pensar em trabalho, mas hoje não pode evitar. Como pelo marketing e desenvolvimento de novos produtos da editora Chartoff Publishing, ela tinha proposto uma linha de livros eletrônicos — a série El Diablo — para a equipe de liderança da empresa, e todos tinham aprovado o lançamento.

Marketing: estimulando a demanda na “Economia da experiência”

Marketing
HBR

Quando o Georgia Aquarium foi aberto, em 2005, era o maior aquário do mundo. Durante seu primeiro ano, mais de 3,5 milhões de visitantes foram ver suas atrações, que apresentavam cerca de 120 mil animais espalhados por 60 habitats em mais de 30 milhões de litros de água. “Não tínhamos de fazer nenhum marketing”, diz Carey Rountree, vice-presidente sênior de vendas e marketing.

Por que as identidades sociais dos clientes são tão importantes

Marketing
Hugh N. Wilson, Guy Champniss, Emma K. Macdonald

Vamos começar pela experiência da fábrica de eletrodomésticos Electrolux. Com base no feedback dos clientes, a empresa pensou em oferecer lavadoras de roupa gratuitas e usar tecnologia inteligente embutida na máquina para cobrar dos clientes a lavagem.

Campo de visão: o nascimento do crédito comercial moderno

Economia
HBR

O crédito era uma coisa relativamente simples quando os negócios estavam localizados perto de seus clientes. Afinal, os comerciantes provavelmente conheciam seus clientes pessoalmente e poderiam fazer avaliações bem informadas sobre sua capacidade de pagamento. Mas, quando os EUA se expandiram para o oeste e a distância entre credor e devedor cresceu, o risco ficou muito maior. Isso foi dolorosamente confirmado pelo Pânico de 1837. 

 

Como eu fiz: CEO da intuit diz como construir uma empresa movida pelo design

Experiência
Brad Smith

Quando Scott Cook cofundou a Intuit, em 1983, muitas outras empresas já ofereciam software para ajudar as pessoas a controlar suas finanças. Na verdade, pelo menos 46 produtos semelhantes foram lançados antes do Quicken, o produto que Cook criou — por isso, às vezes brincamos que, em vez de ter a vantagem de ser o primeiro a chegar, a Intuit tem “a vantagem de ser o 47º a chegar”. A versão original do Quicken oferecia apenas um terço dos recursos que muitos produtos concorrentes tinham, mas com uma diferença importante: ele tinha um bom design.

Saiba como convencer o chefe

Comunicação
Susan J. Ashford, James Detert

Um gerente do setor de engenharia de uma empresa de energia — vamos chamá-lo de John Healy — queria convencer seu chefe a adotar uma tecnologia de purificação de gás mais segura e mais barata. Poderia ter sido uma tarefa fácil se o chefe, o diretor-geral, não tivesse escolhido apenas um ano antes o sistema em uso. Em vez disso, foi “um processo delicado”, nas palavras de Healy. Felizmente, avaliações feitas por usuários da nova tecnologia estavam disponíveis há apenas poucos meses, algo que Healy habilmente mencionou em sua apresentação para o diretor-geral e outros altos executivos.

Onde os conselhos falham

Governança
Mark Wiseman, Dominic Barton

Os conselhos não estão funcionando. Depois de mais de uma década da primeira onda de reformas reguladoras pós-Enron, e apesar de uma infinidade de normas de vigilantes independentes como a Rede de Governança Corporativa Internacional, muitos conselhos não estão desempenhando sua missão central: exercer forte supervisão e apoio estratégico para os esforços de executivos em criar valor de longo prazo. E essa opinião não é só nossa. Pesquisas sugerem que os próprios conselheiros acreditam que os conselhos estão falhando.

 

O paradoxo da autenticidade

Liderança
Herminia Ibarra

 

A AUTENTICIDADE se tornou o padrão-ouro da liderança. Mas uma compreensão simplista sobre o que ela significa pode prejudicar seu crescimento e limitar seu impacto.