O mundo está se tornando cada vez mais quente, desencadeando efeitos ambientais que ameaçam empresas e a sociedade, desde tempestades de proporções recordes, inundações e secas até derretimento do gelo do Ártico e elevação do nível dos oceanos. Algumas empresas estão reforçando suas cadeias de suprimentos, processos e infraestrutura, mas a maioria, imprudentemente continua a tratar os negócios como de costume. De acordo com uma recente pesquisa global com aproximadamente dois mil executivos realizada pela Sloan Management Review e o Boston Consulting Group, dois terços dos líderes concordam que mudanças climáticas são reais — mas somente um terço acredita que suas empresas estão preparadas para enfrentar essas ameaças.

Embora as ameaças aos negócios sejam claras e urgentes, oportunidades também são criadas. As checklists das próximas páginas são um guia para reduzir risco operacional, regulador e conceitual. Elas também indicam formas de cortar custos, melhorar o desempenho, estimular ou criar novos relacionamentos com clientes e ainda aumentar competitividade e resiliência. Nem todas as ações recomendadas serão relevantes para todas as empresas e não devem ser consideradas em nenhuma ordem de prioridade.

Para desenvolver as checklists, estudei aproximadamente 600 empresas e entrevistei mais de 200 executivos seniores sobre suas ações estratégicas e operacionais diante das mudanças globais. As recomendações foram testadas e aprimoradas pela pesquisa que realizei e por um trabalho consultivo com empresas renomadas, incluindo Unilever, Coca-Cola, Nestlé Waters North America, GE e Owens Corning, além de empresas menores de papel e polpa e de produtos embalados.

Como qualquer ferramenta desse tipo, as checklist não fornecem um plano “tamanho único” que serve para todos. Ao contrário, elas fornecem os instrumentos para personalizar estratégias de acordo com seus produtos e serviços, tolerância ao risco, resiliência com terceiros em toda a cadeia de valor, necessidades dos clientes e outros fatores.

 

1- Checklist do fornecimento

Eventos de mudanças climáticas tornam a disponibilidade de matérias-primas cada vez mais imprevisível, resultando na volatilidade de preços, falta de produtos e vendas perdidas. Os passos abaixo o ajudarão a precaver-se contra esses efeitos. Lembre-se de considerar não apenas seus fornecedores diretos, mas também os fornecedores de seus fornecedores.

 

clique na imagem para ampliar

 

2 – Cheklist  do fabricante

Desperdício de energia e material eleva os custos e aumenta os riscos de ações reguladoras e reação dos consumidores. E sem alternativas confiáveis para cada aspecto da produção, você fica sujeito à falta de produtos e venda perdida no caso de interrupções devidas ao clima. Aplique as medidas abaixo tanto para sua empresa como para contratados.

 

clique na imagem para ampliar

 

3 – Checklist da distribuição

Clima extremo pode interferir na infraestrutura de transportes, de estradas e pontes a portos, de rotas mercantes a redes de energia e interromper a distribuição e remessas de varejo de sua empresa. Como no caso do checklist do fabricante, leve em conta também as instalações e atividades de seus parceiros, bem como os recursos de sua empresa.

clique na imagem para ampliar

 

 

4 – Checklist do consumo

Tornar-se líder de sustentabilidade pode ser o diferencial entre você e seus competidores — pois ignorar o impacto ambiental de seus produtos pode afastar clientes e o público. Os passos abaixo o ajudarão a adotar e enfatizar comportamentos “verdes” em relação ao consumo de seus produtos e recapturar valor na utilização de materiais pós-consumo.

clique na imagem para ampliar

 

Eric Lowitt é fundador da Nexus Global Advisors e autor de The Collaboration Economy, Wiley, 2013.

Share with your friends









Submit