Um certificado de MBA é um passaporte para a ascensão profissional. Mas, por trás desta sigla, há muito joio misturado ao trigo.

Não há dúvida de que um bom MBA é uma credencial importante, um passaporte para a ascensão no mundo corporativo. É uma identificação que sobressai e, não raro, diminui a relevância de cursos anteriores, quando um profissional se apresenta nos processos seletivos das empresas. Por isso mesmo, MBA precisa ser muito bem definido e compreendido. Há instituições que utilizam o nome MBA para dar notoriedade a pós-graduações em outras áreas, o que, de certa forma, banalizou a nomenclatura no meio acadêmico, confundindo os alunos e gerando ressalvas no mercado de trabalho. Essas pós-graduações podem ser, por sua vez, de boa qualidade em alguns casos, porém não carregam as características de um curso de MBA. Também existem aquelas que corretamente focam nos temas de um MBA, mas infelizmente não da forma adequada — e por isso nem sempre os resultados prometidos são alcançados. Felizmente, existem vários MBAs de verdade e de qualidade. Compete ao candidato ao curso escolhê-los. E essa escolha já é em si um desafio para quem quer se transformar em um bom tomador de decisões.

Quem pretende cursar um MBA precisa ficar atento a muitas coisas. O MBA é muito voltado à realidade do mercado, mas também intensifica a interação entre mercado e academia. As organizações, para competir e atender a suas demandas, buscam profissionais para desenvolver soluções e tomar decisões em prazos cada vez menores e em cenários cada vez mais complexos. O MBA tem que ajudar no desenvolvimento desses executivos, dotando-os de conhecimentos amplos de gestão, conhecimentos específicos nas áreas funcionais, capacidades de adotar práticas e ferramentas atualizadas e, ainda, de habilidades e competências tanto técnicas como gerenciais. Sua habilidade de liderança, de pensamento crítico, combinado com visão abrangente e compreensão da interdependência das áreas de conhecimento, é fator imprescindível. Esse profissional superpreparado vai atuar numa economia global, em diferentes setores, em várias culturas e regiões geográficas, fazendo parte de um planeta que vive crises sucessivas e se mostra de difícil sustentabilidade ambiental e social.

clique aqui para ampliar
clique na imagem para ampliar
O MBA não garante excelência no desempenho futuro desse executivo, apenas dá instrumental mais amplo, e o desenvolve. Outros aspectos como sua motivação, valores, comportamento ético e com certeza sua história e experiência passada certamente influenciarão muito na sua atitude e desempenho.
Nos EUA, onde o MBA já fez cem anos de vida, há vários formatos de calendário com algumas diferenças, principalmente no que diz respeito à carga horária e à dedicação exigida do aluno.
Há os programas em tempo integral com duração de dois anos para jovens recém-graduados, ainda no início da carreira, para os quais o valor de um MBA de boa reputação pode em muito superar o investimento feito, conseguindo um bom emprego no final do curso. 
Por outro lado, para o profissional que já está no mercado e não pretende abandonar seu vínculo de trabalho, lá também existe o MBA noturno ou em finais de semana. Os chamados MBAs Executivos são voltados para administradores que já têm, em média, dez anos de carreira, permitem que os alunos estudem e trabalhem ao mesmo tempo e pressupõem que, além das aulas, o aluno precisará também de um tempo extra para estudar e reunir-se com colegas do curso. Com a instabilidade econômica mundial, nota-se que cada vez mais esse modelo está sendo procurado por lá, pois abandonar um emprego para estudar tornou-se uma decisão arriscada.
A tradição brasileira é cursar pós-graduação, seja MBA ou outro curso de especialização, no formato noturno e em finais de semana. Os inúmeros cursos no Brasil oferecem calendários e horários adequados a quem trabalha em tempo integral.
A escolha
Uma vez entendido o que é um MBA, cabe ao candidato o desafio da escolha. As ofertas são muitas e os cursos e resultados por sua vez também são muito diferentes. Como em todos os setores, a escolha faz a diferença. Minha experiência, aliada aos resultados de pesquisas do EMBA Council, da Associação Nacional de MBA (Anamba), e da própria instituição que dirijo, a Business School São Paulo, sinaliza a existência de três grupos de fatores nessa escolha:
1 Fatores essenciais relacionados com a validade legal do certificado, credibilidade do curso, da instituição e reconhecimento de mercado:
• Reconhecimento oficial da instituição pelos reguladores da educação no país, sendo no caso brasileiro o Ministério da Educação.
• Existência de “Selos de Qualidade” dados através de acreditação por um ou mais organismos, tais como Anamba, AMBA, EFMD e AACSB, que credenciam cursos de MBA ou a instituição que os oferece.
• Tradição e imagem do curso perante o mercado, empresas e organizações recrutadoras.
• Presença em rankings produzidos por organismos isentos e independentes.
• Corpo docente renomado com experiência e titulação adequada.
• Grade curricular atualizada e abrangente.
2 Fatores indispensáveis relacionados com a adequação à realidade de cada um e à possibilidade prática de viabilizar a frequência e pagamento do curso:
• Adequação do curso ao seu momento da carreira profissional.
• Carga horária compatível com as exigências da vida par-ti-cular e ritmo de trabalho do profissional, além da disponibilidade de tempo para estudo e atividades extraclasse.
• Localização da instituição e facilidade de acesso durante os horários de aulas do curso.
• Preço do curso compatível com a capacidade de desembolso do aluno e subvenção do empregador.
3 Fatores diferenciadores que são exclusivos de cada curso e de cada instituição e podem ser res-ponsáveis pelo desempate nas escolhas, muitas vezes a “cereja do bolo”:
• Aulas com docentes estrangeiros, disciplinas lecionadas em inglês, acesso a bibliografias e materiais didáticos atualizados.
• Possibilidade de cursar disciplinas em instituições de fora do Brasil.
• Dupla certificação possibilitando receber um cer-ti-ficado adicional ao brasileiro e emitido por ins-ti-tuição legalmente autorizada e credenciada no exterior.
• Viagens de estudos e visitas a empresas em parcerias acadêmicas com instituições de renome no exterior.
• Networking proporcionado pelo ambiente do curso.
Vantagens
Uma vez feita uma escolha adequada ao perfil e ao momento profissional, a tão desejada pós-graduação poderá dar um verdadeiro impulso na carreira do aluno e impactar seu sucesso. Pesquisa feita recentemente pelo EMBA Council, entidade que congrega mais de 200 instituições que oferecem cursos de MBA no mundo, mostra que cerca de um terço dos alunos tem promoções e 50% assumem novas responsabilidades durante o curso. A totalidade dos alunos desses cursos afirma que o curso atendeu às expectativas, acrescentou valor e recomendaria a seus colegas. No âmbito das empresas, ele traz novas práticas e ideias para a organização, aumenta a motivação no trabalho, acelera a carreira dos colaboradores, aumenta sua retenção e gera fontes adicionais de receita.
Mas o profissional precisa entender que apenas possuir um MBA não é suficiente para atingir o sucesso. A cada dia que passa, a hipótese de que MBA é um pré-requisito semelhante ao domínio de segundo idioma na carreira profissional se reafirma mais e mais. No jogo da competição, é necessário se diferenciar mais e continuar a busca pelo aperfeiçoamento profissional. O executivo de sucesso nunca vai parar de estudar.
O MBA tem a missão de preparar o profissional não somente para hoje, mas também para o futuro. Como o curso transcende ao que já está consolidado, esperam-se dos participantes uma ação tangível e contribuições estratégicas nas organizações muito além da adoção de melhores práticas e resolução de problemas já conhecidos.
Grandes avanços na administração foram decorrentes desses conhecimentos, os quais, associados a tantos outros sendo descobertos e aplicados, como, por exemplo, a gestão da complexidade, gerarão os próximos avanços, tornando a bagagem do egresso de um MBA cada dia maior. Com uma boa estrutura de pensamento adquirida durante o curso, ele saberá utilizá-la para enfrentar desafios decorrentes das constantes mudanças e novos cenários globais. E quem fez um bom MBA sabe disso. 
Armando Dal Colletto (armando.dalcolletto@bsp.edu.br) é diretor-executivo da Associação Nacional de MBA (Anamba), membro do Board of Trustees do EMBA Council e diretor da Business School São Paulo.

 

 

Share with your friends









Submit