É mais uma reunião na empresa e, após algumas observações do chefe, você sente que é o momento ideal para lançar mão daquela sua piada. Ela não é de forma alguma inapropriada, então você resolve arriscar. Porém, para sua surpresa, ela não arranca o número de risadas que você tanto esperava. Talvez seu primeiro impulso seja ficar com vergonha e arrepender-se da tentativa. Na verdade, uma recente pesquisa de Wharton School prova que você não precisa sentir-se dessa maneira. Fazer piadas, desde que não sejam muito inadequadas, pode melhorar as percepções de competência, reconhecimento social e confiança no ambiente profissional.

Segundo os pesquisadores, há pouca desvantagem em tentar ser engraçado, mesmo que você não tenha tanto sucesso. Em vários contextos, não foi encontrada nenhuma diferença significativa na percepção das pessoas sobre alguém que responde a uma pergunta com uma piada malsucedida em relação a outra que dá uma resposta séria. Claro que piadas que arrancam gargalhadas gerais trazem mais benefícios, mas a grande diferença reside naquelas consideradas inapropriadas.
O estudo aponta que as que se inserem nesta categoria podem prejudicar a percepção de status e competência, embora tendam a aumentar o grau de confiança que as pessoas em volta têm em relação ao piadista. Portanto, os resultados mostraram que enveredar por essa linha é sempre uma má ideia.
A pesquisa foi pioneira ao tentar estabelecer um nexo de causalidade entre humor e status e para isso foram utilizados vários cenários, incluindo entrevistas de trabalho e apresentações de negócios. A pesquisadora, Alison Wood Brooks, da Harvard Business School, comenta “Evidências científicas sobre o que nos faz rir são surpreendentemente limitadas. Assumir o risco inerente que envolve o humor é difícil – cometemos constantemente erros flagrantes no local de trabalho. Mas grandes recompensas esperam por aqueles que lidam bem com o lado engraçado da vida.”
Share with your friends









Submit