Gestão pessoal

15 maneiras de impedir que hackers invadam seu celular

Luke Bencie, Camille Mouliard e Maxime Proud
12 de dezembro de 2017

Telefones celulares se tornaram a nova presa favorita de hackers e outros indivíduos nefastos. Uma vez invadidos, nossos celulares oferecem acesso fácil a dados pessoais e financeiros, dando aos hackers a oportunidade de vendê-los na deep web ou nos chantagear.

Mas apesar das ameaças cada vez maiores e mais evidentes para nossos smartphones, a maioria das pessoas — e dos executivos — ainda não adota medidas básicas de segurança. De acordo com um relatório sobre segurança móvel feito pela Intertrust em 2016, os custos de invasões e violações em aplicativos de celular chegarão a U$1,5 bilhão em 2021. Ainda assim, a segurança para dispositivos móveis geralmente recebe menos atenção do que a segurança para sistemas de rede ou para computadores pessoais. O mesmo relatório aponta que U$34 milhões são gastos anualmente com desenvolvimento de aplicativos, enquanto o valor investido na segurança destes aplicativos não passa de U$2 milhões. Isto reforça o antigo ditado de que o dinheiro despendido em segurança nunca é suficiente — até que haja um acidente. Depois do dano causado, realmente dinheiro algum será suficiente.

Nossos celulares também podem funcionar como facilitadores e nos tornar ainda mais vulneráveis a ataques. Muitas pessoas, por exemplo, usam seus telefones para verificar identidades e senhas. Todos nos sentimos mais seguros quando bancos ou provedores de e-mail enviam uma mensagem de texto com um código de verificação para acessar a conta. Mas os hackers podem assumir o controle do seu número de telefone e transferi-lo para outro aparelho, comandado por eles. Quando isso é feito, todas as suas verificações de segurança são enviadas também para os hackers, permitindo que acessem suas contas online.

Outro método que os hackers podem usar para invadir seu celular é adulterar aplicativos. Códigos maliciosos podem ser inseridos em versões gratuitas de aplicativos populares. Assim que o aplicativo for instalado — um antivírus, por exemplo — os hackers podem pedir, através da interface do app, que você gaste dinheiro para se livrar de alguns vírus que foram encontrados em seu celular. Se você se recusar, o aplicativo pode desabilitar completamente o seu celular até que você pague. Pense nisso como um Trojan. Muitas vezes, quando você percebe o que está acontecendo, já é tarde demais.

Estes são apenas dois caminhos pelos quais os hackers podem causar estragos no seu celular. O que você pode fazer para se defender e proteger seu aparelho? Listamos aqui 15 passos que te transformarão em um alvo mais difícil:

1.  Mude imediatamente as senhas-padrão do seu dispositivo. Evite usar “0000”, “1234”, sua data de aniversário ou outros códigos fáceis de serem descobertos. Evite também logins automáticos ou salvar senhas. Se possível, mude suas senhas periodicamente.

2.  Mantenha seu sistema operacional atualizado e faça backups do seu smartphone regularmente. Instale as atualizações de aplicativos e do sistema operacional assim que estiverem disponíveis, porque estas atualizações podem corrigir erros e falhas de segurança.

3.  Crie uma conta de e-mail específica para fazer autenticações e receber códigos de segurança. Este endereço de e-mail deve ser diferente do que você usa no dia a dia, que pode já ser conhecido.

4.  Tenha cautela ao instalar aplicativos de origens desconhecidas, especialmente versões gratuitas de aplicativos populares.

5.  Baixe aplicativos somente através da App Store, Google Play ou outras fontes oficiais. Eles fazem checagens periódicas e removem aplicativos maliciosos.

6.  Não acesse informações delicadas (sua conta bancária, por exemplo) enquanto estiver conectado a uma rede desprotegida, como um Wi-Fi público.

7.  Use uma VPN (Virtual Private Network) para criar um canal mais seguro entre seu smartphone e a Internet.

8.  Configure seu celular para que a tela de bloqueio apareça rapidamente quando o aparelho não estiver sendo usado.

9.  Ajuste seu smartphone para que todo conteúdo seja formatado caso tentativas sucessivas de acesso falharem. Para isso, mantenha sempre um backup atualizado do seu aparelho.

10.  Desligue o Bluetooth do seu celular quando ele não estiver em uso.

11.  Habilite a função “Find my phone” (“Encontre meu celular”) do seu aparelho para que ele seja facilmente rastreado em caso de perda ou furto.

12.  Considere a instalação de softwares de segurança em seu celular, mas somente os aprovados e reconhecidos — que geralmente não são gratuitos.

13.  Tente não manter informações pessoais por tempo demais no seu aparelho. Deixe seu celular o mais “limpo” possível, salvando fotos e documentos em dispositivos mais seguros.

14.  Desligue seu celular quando não estiver usando — ao invés de somente “hibernar” — especialmente quando estiver viajando.

15.  Instale uma tela de segurança no seu aparelho. Elas previnem que pessoas ao seu redor vejam o que se passa na sua tela.

Para aqueles que viajam com frequência para outros continentes, particularmente para a China ou outros países preocupados com a espionagem econômica, recomendamos o uso de “celulares descartáveis”, que possam ser destruídos depois da viagem.

Ninguém que foi hackeado consegue se recuperar facilmente. Os computadores pessoais sempre estiveram vulneráveis a ataques, mas os smartphones se tornaram a escolha preferencial dos criminosos. Para se proteger, preveja seus riscos e adote medidas para mitigá-los.
__________________________________________________________________________________
Luke Bencie é diretor da Security Management International e autor dos livros Among Enemies: Counter-Espionage for the Business Traveler, Global Security Consulting: How to Build a Thriving Practice e The Clandestine Consultant: Kings, Sheiks, Warlords and Dictators.
Camille Mouliard é pesquisadora associada da Security Management International.
Maxime Proud é pesquisador associado da Security Management International.

Compartilhe nas redes sociais!